Cannabis – É a hora de legalizar?

Por @EddieJunks e @CarolContri

Não há tema mais polêmico que a legalização da maconha. Por que será que ela é proibida? Quais as verdades e mentiras que cercam uma das drogas mais consumidas mundialmente? Nesse post especial estaremos esclarecendo algumas idéias exclusivas a respeito do assunto.

Um dos grandes problemas que gira em torno da polêmica questão da legalização da maconha é o preconceito. Afinal, ela está relacionada á classes sociais mais baixas, e nas primeiras décadas do século XX, aqui no Brasil, maconha era “coisa de negro”.

A maconha chegou aqui através dos escravos angolanos, que as utilizavam em rituais religiosos e para amenizar dores musculares.

Na Europa, ela era associada aos imigrantes árabes e indianos e aos incômodos intelectuais boêmios. Nos Estados Unidos, quem fumava eram os mexicanos, que incomodavam muito, afinal meio milhão deles foram ao país entre 1915 e 1930 em busca de trabalho.

Além do preconceito, uma questão econômica e religiosa rebaixou a maconha a pior das coisas. É claro, imagina todos esses exemplos aí, se culpa a maconha por conta de intolerâncias sociais, raciais e religiosas.

Isso aí é só um pouquinho do que aconteceu para vocês pensarem na questão. Mas, a questão é: por que o álcool e o tabaco são legais?

Se vocês olharem na tabela (clique para ampliar), vão ver que os danos são até superiores que os ocasionados pela maconha, lembrando que os do álcool podem ser muito piores para os seus dependentes.

Por que não legalizar então? A questão é muito mais embaixo, já estamos carecas de saber o que rola no narcotráfico, legalizar a maconha seria o fim disso. Bom, né? Mas e a galera que tira uma graninha daí? É o tráfico de maconha gera corrupção e tem muita gente grande interessada nisso.

Legalizar a maconha é muito mais que permitir que os usuários sejam livres para consumir tanto quanto um apreciador de uma bebida ou de um cigarro, é acabar com grande circulador de dinheiro do tráfico.

Com a legalização da maconha estaríamos diminuindo de maneira significativa a quantidade de dinheiro que vai para o financiamento do tráfico e consequentemente ajudando a desarmá-los de alguma forma.

Outro fato de bastante importância é o tempo que policiais perdem enquadrando usuários de maconha que normalmente não estão agredindo ou prejudicando ninguém enquanto muitos outros crimes estão acontecendo a alguns quilômetros ou até mesmo metros dalí, onde outras pessoas realmente precisam da presença da polícia.

Todo o dinheiro gasto com operação policial em bocas de fumo, morros etc, poderia ser revertido em trabalhos de conscientização sobre as drogas, como é feito com o cigarro e bebida. Levar informação sem preconceitos e com responsabilidade é a melhor forma de combater um número grande de usuários de qualquer substância nociva a saúde.

Maconha na história

Existem registros de que os Homo Sapiens já tinham contato com a maconha, isso há sei mil anos. A fibra da planta era aplicada em cordas.

Os Chineses conhecem há dois mil anos o poder curativo da droga, como prova o Pen-Ts’ao Ching, considerado o primeiro livro que reúne fórmulas e receitas de medicamentos, recomenda o uso da maconha contra prisão de ventre, malária, reumatismo e dores menstruais.

Também na Índia, a erva já há milênios é parte integral da medicina ayurvédica, usada no tratamento de dezenas de doenças.

Durante anos de história a Cannabis passou pelos gregos, na região hindu, pelos africanos e muitos outros povos.

Além disso, vale lembrar que muitos intelectuais utilizavam a droga, nomes como Pablo Picasso, Carl Sagan, Albert Einstein, Anton Tchékov, Palazzo Pitti e Jack Kerauc. Aposto que você não fazia ideia disso, né?

O uso medicinal

A maconha tem eficácia comprovada pela medicina, particularmente, no controle da dor, alívio de náuseas, vômitos, e a estimulação do apetite. A erva também é utilizada no tratamento de vários tipos de cânceres e a AIDS, com medicamentos contendo compostos sintéticos do THC para o tratamento das doenças.

O papel da maconha na dor é produzir um efeito analgésico, e vários pacientes poderiam ser beneficiados com o uso da droga, como em uso de quimioterapia, no trauma raquimedular, com neuropatia periférica, em fase de pós-infarto cerebral, em pós-operatório, na AIDS ou em quaisquer outras condições clínicas relacionadas a um quadro de dores crônicas.

Estudos sobre os efeitos da maconha indicam que esta droga pode ser muito importante no tratamento da desnutrição e da perda de apetite em pacientes que possuam câncer ou o vírus HIV.

Também é bastante útil em caso de movimentos desordenados. Estudos em animais mostram que o uso da cannabis em doses baixas pode estimular os movimentos, e em doses altas inibi-los, portanto, esta característica pode ser muito importante para desenvolver tratamentos de desordens motoras na doença de Parkinson.

O uso da maconha na medicina seria bastante útil não só nessas doenças já citadas, mas também em muitas outras que ainda estão sendo estudadas e outras que já tem efeito medicinal comprovado, como em alguns casos de depressão, o fato de impedir que o câncer de mama se espalhe, ansiedade,  entre muitos outros casos.

Por trás da proibição

Grande parte das pessoas defende a ideia de que se legalizarem o uso da maconha o número de usuários irá aumentar. Mentira!

Repito: E quanto ao cigarro e o álcool? Existem propagandas que induzem as pessoas a beberem no calor, a beberem pra conquistar alguém. O álcool é responsável pela morte de usuários e terceiros vitimas de bêbados. O que me dizem disso?

Por trás das empresas responsáveis pelas bebidas existe muita grana que rola e muita gente “forte”, é claro que nunca será proibida, nem mesmo a propaganda.

Esperar a ação do governo é algo cansativo e que pode nem acontecer. O narcotráfico, citado no começo do post, se converte em narcopolítica. Legalizar é acabar com essa palhaçada. O narcotráfico é um problema nacional, responsabilidade do Governo.

A maior fonte de renda do tráfico é derivada da maconha. De usuários que provavelmente não causam problemas de ordem pública, e se causam, com certeza é bem menor do que pessoas que dirigem embriagadas, por exemplo.

O dinheiro que se perde com bafômetros, com a tentativa de redução do narcotráfico poderia ser destinado ao tratamento de usuários de drogas muito piores e que causam danos à sociedade.

Além disso, a legalização da maconha é o tempo todo relacionada a uma legislação antiga e ultrapassada que trata os usuários como marginais e a maconha a classes sociais mais baixas. É preciso desmistificar a questão da droga relacionada aos escravos e coisas tão velhas de uma história intolerante. Afinal de contas os usuários da cannabis variam de pessoas de todas as classes, das mais altas as mais baixas.

Legalizar não significa todos se tornarem maconheiros, é não obrigar o usuário da erva (droga leve, menos perigosa que um analgésico) a ter que entrar em uma boca de fumo para ter acesso a uma droga de péssima qualidade, que prejudicará a saúde do mesmo e ainda expor ele a outras drogas pesadas, como o crack, cocaína, etc.

About @CarolContri

De médico, louco e revolucionário todo mundo tem um pouco!
This entry was posted in Cannabis - É a hora de legalizar?. Bookmark the permalink.

10 Responses to Cannabis – É a hora de legalizar?

  1. Fabrício says:

    Pois é, realmente todas as drogas deveriam ser liberadas. Assim, não se gastaria com combate ao tráfico, não teriam mais (tantos) confrontos da polícia com marginais, seria implantado imposto na venda delas, enfim, tudo ia ser melhor, sendo o objetivo do capitalismo atingir o lucro, seria perfeito. E o dinheiro economizado poderia ser usado para fazer o país realmente avançar. Não seria ótimo?

  2. Wilbor ! says:

    Planta um pézinho lá na sua casa que seus problemas acabaram, mas a mamãe não iria deixar né?
    O negocio é liberar a cocaina porque estou cansado de cheirar esses pó de mármore e remédios todos misturados.
    Esse é um assunto muito sério e não deve ser resolvido ainda nesse século (aqui no Brasil).

  3. Ricardo says:

    Não ia comentar pq tive um caso crítico na minha familia com drogas então sou bem chato quando a isso mas pera ai!! o infeliz que fez o post do pezinho da maconha pára de lêr as 3 primeiras linhas e lê o texto todo porra! Usuário viciado tem mais é que se foder mesmo mas o post é no sentido de como acabar uma guerra sem sentido enquanto tantos outros precisam da policia real, os carteis que controlam a droga não são os que estão na boqueira mas sim em grandes níveis da sociedade, FHC fuma maconha! A corrupção no Brasil gera um LUCRO de 5% sobre o pib parece pouco mas todos os outros itens não passam de 3,5 +-. Cara odeio gente burra, que não sabe lêr!! Vai estudar antes de postar merda!

  4. Milton says:

    Nossa, esse Wilbor é burro mesmo…cara, leia direito o post pra você entender a ideia. Você nem deve saber o que é a merda de narcotráfico, acho q vc nem leu nada…mas fica um trecho mto bom p vc ler – “Todo o dinheiro gasto com operação policial em bocas de fumo, morros etc, poderia ser revertido em trabalhos de conscientização sobre as drogas, como é feito com o cigarro e bebida. Levar informação sem preconceitos e com responsabilidade é a melhor forma de combater um número grande de usuários deu qualquer substância nociva a saúde”

    Era só ler isso pra entender que o post não é pelo uso da maconha e sim pra acabar com as merdas que rolam por trás disso.

  5. Wilbor ! says:

    Parafraseando o próprio Blog: ”O dinheiro que se perde com bafômetros, com a tentativa de redução do narcotráfico poderia ser destinado ao tratamento de usuários de drogas muito piores e que causam danos à sociedade.”
    Os usuários viciados tem que se foder ou serem tratados ? Fiquei sem entender essa!
    Eu li o texto todo, e essa foi minha opinião, se não aceitam, tirem a parte de comentários.
    E reconheço de longe esse comportamento agressivo, na maioria dos casos e usuários de entorpecentes.
    E é BIQUEIRA e não BOQUEIRA.

  6. Milton says:

    Não acho que tem q se foder, tem q ser tratado…mas não se pode falar sobre drogas direito, pq é apologia e sei lá oq….acho q a maconha é a que causa menos danos, comparado com a bebida então, nem se fala. A preocupação tem que ser com o número absurdo de usuários de crack que existem por exemplo. Droga não é caso de polícia, é saúde pública, como cigarro e bebida.

  7. Fabio says:

    Não sou usuário de nenhuma dessas drogas, por opção. Mas acho q deve ser legalizado sim, o cigarro e a bebida são, pq o cara que fuma maconha não pode fazer isso sem ser taxado de drogado ou vagabundo? Por vários motivos medíocres ela foi proíbida e em torno disso a corrupção faz a festa…a conscientização só pode ser feita quando o assunto é aberto, como se faz com um alcoolatra e um fumante.
    Eu concordo com o post sim…saiu inclusive no ano passado uma matéria na Super Interessante sobre o tema e fala praticamente o que o post abordou!
    Parabéns!

  8. Paulo says:

    Já passou da hora de legalizar! Investir em uma guerra inútil é ingenuidade e hipocrisia. A mídia ainda vende a imagem de que maconheiro é vagabundo, o que não condiz com a realidade. A maioria dos usuários levam uma vida normal, trabalham, estudam e têm família como qualquer outro, por causa do preconceito muita gente fuma e não assume. É um absurdo a sociedade aceitar tão bem o álcool e ver com tanto preconceito uma droga que é menos perigosa, hipocrisia pura!

  9. Felipe says:

    Realmente o é muita hipocresia e falta de vergonha na cara ainda tratarem a maconha com tanto preconceito. Repito oq disse o Milton “Droga não é caso de polícia, é saúde pública, como cigarro e bebida”.
    Parabéns ao casal pela qualidade do blog e principalmente desse post!

  10. Pingback: [Documentário] – GRASS (Maconha) | Mostrando para o mundo a nossa realidade!

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s